Tag Arquivos: marketing

Prev
Next

Facebook ou Google, qual a melhor opção para promover o meu negócio?

cintiaaa

Tenho recebido vários questionamentos sobre qual é a melhor opção para fazer anúncios pagos, se é no Facebook Ads ou no Google Adwords. E hoje, o nosso artigo é para esclarecer um pouco das diferenças entre as duas mídias e assim você vai poder identificar qual é a estratégia mais assertiva para o seu negócio.

Primeiramente, precisamos entender como é o funcionamento de cada mídia, depois definir qual é o nosso objetivo de marketing e aí então, escolher o canal que será utilizado para promoção. Vamos lá?!

Facebook  Ads

Facebook é a maior rede social do mundo e conta hoje com aproximadamente 2 bilhões de usuários ativos em todo o mundo.

O Facebook permite que sejam criadas páginas de fãs direcionadas para empresas, marcas ou produtos, associações ou qualquer organização com ou sem fins lucrativos. Essas páginas, também conhecidas como Fanpage, permitem diversas funcionalidades para a promoção de negócios, como os anúncios pagos – Facebook Ads (Ads é abreviatura de advertisements que significa propaganda/publicidade).

Considerando que os resultados no Facebook organicamente (sem pagar por anúncios) é bem insatisfatório (estimula-se que em média, apenas 3% dos fãs da página recebem o conteúdo postado) é fundamental que a empresa invista em Facebook Ads.

Os anúncios pagos no Facebook podem ser criados considerando cada objetivo da ação e segmentando o público que irá visualizar o anúncio. Essa segmentação pode se dar por gênero, idade, interesses, formação, renda familiar, localização entre outras características, sendo essa uma das principais característica e vantagem da ferramenta.

Vale destacar que esse tipo de anúncio pode aparecer para o usuário sem que ele tenha demonstrado interesse, sendo bastante importante para captar pessoas que estejam em “estágio de descoberta”, que não conhecem determinado produto, que podem tomar alguma ação devido a uma “promoção” ou que vão iniciar um relacionamento com a marca.

Google Adwords

Essa é uma ferramenta de anúncios já bem consolidada, lançada em 2000. É sinônimo de busca por informações para todo o mundo. Existem outros mecanismos de busca com serviços semelhantes, como é o caso do Bing e o Yahoo. Porém, a grande diferença é o alcance muito maior do Google, em relação aos concorrentes.

Vamos pensar… quantos dias você fica sem fazer pelo menos uma pesquisa no Google? Basicamente todos os usuários da internet utilizam o essa fonte de informação diariamente.

O Google Ads permite criar anúncios de texto redirecionando para seu website, um hotsite, uma página de mídias sociais.

Google AdWords é um mercado onde empresas pagam para ter o seu site ranqueado acima dos resultados de busca orgânica, baseado em palavras-chave.

Como funciona?

Ele funciona assim: você cria um anúncio e dá um lance na palavra-chave escolhida.

Quando alguém fizer uma busca pela mesma palavra-chave que você utilizou no seu anúncio, ele vai ser exibido junto com os resultados, nas posições de topo.

Quando você paga? Quando clicarem no seu anúncio.

E a concorrência? Naturalmente o anúncio da empresa que deu maior lance pela palavra chave vai ser mostrado primeiro, mas não só isso. Na verdade, o Google Adwords leva em consideração a qualidade e relevância dos anúncios.

Uma característica muito importante desse tipo de anúncio é que ele será exibido porque o usuário está pesquisando/procurando/precisando por aquilo, naquele momento. Em contraponto, se a pessoa não procurar pela “palavra-chave” que você escolheu para o seu anúncio, ele nunca vai te encontrar.

Qual devo escolher?

Não dá pra se dizer qual é o melhor. Vai depender do tipo de negócio, produto ou serviço e dos objetivos com o anúncio.

Antes de escolher um ou outo leve em consideração o seu objetivo e a jornada de compra do cliente:

1) Se você busca uma melhoria direta nos resultados de vendas, o Google Adwords é a opção mais adequada.

2) O Google Adwords apresenta uma taxa de conversão mais alta, pois o usuário clica no anúncio que já estava pesquisando e no entanto está mais próximo de efetuar a compra.

3)  Se está buscando construir e consolidar a marca do seu negócio e desenvolver relacionamento com o público, então deveria escolher o Facebook Ads.

4) Se você tem uma promoção muito atrativa e quer estimular a compra ou o interesse do usuário, utilize o Facebook Ads.

5) Você tem um produto muito novo/inovador e as pessoas ainda não conhecem, elas não vão buscar ele com alguma palavra chave. Então você pode utilizar a estratégia de Facebook Ads para apresentar isso aos possíveis consumidores.

Espero ter esclarecido um pouco das diferenças básicas entre essas ferramentas e acompanhe os próximos conteúdos!

EE-Colunista-Cíntia-SchenkelEE-Colunistas-aviso-geral

17 jul 2017

Prev
Next

Importância de uma boa Identidade Visual para seu negócio

cintia entre elas

Ter uma Identidade Visual é fundamental para que as empresas possam mostrar a que vieram, entretanto, ter uma BOA Identidade Visual pode ser o fator principal para você ter sucesso no seu negócio. Pois é ela que transmite qualidade, confiança e segurança aos seus clientes. Confira alguns motivos para você investir em uma boa Identidade Visual:

Destaque entre os seus concorrentes:  Ao procurar por um produto e/ou serviço o cliente pode ter dúvidas na hora de escolher entre as diversas opções disponíveis, porém uma identidade bem feita, bonita e uma marca forte são as primeiras características que o cliente analisa quando conhece uma empresa.  Isso pode definir a escolha que ele fará.

Demostra seu profissionalismo: Não possuir um bom material institucional acaba passando uma mensagem errada ao seu cliente, pois ele pode perceber que não há garantia de que sua empresa entregará um produto e/ou serviço profissional e de qualidade. Afinal, se não investe em uma boa imagem do seu negócio, os demais processos não serão feitos da mesma forma. É um ponto muito importante.

Não confie a imagem de sua empresa a alguém que não seja profissional da área:  Desenvolver uma boa Identidade Visual é mais do que apenas desenhar um logotipo, é algo que precisa ser levado a sério, pois envolve todo um projeto, com base em pesquisas.

Apesar de ter um investimento maior do que o desenvolvido por um não profissional, é fundamental contratar uma empresa especializada para fazer um serviço profissional. Esse investimento será facilmente revertido em fortalecimento de marca e aumento nas suas vendas.

EE-Colunista-Cíntia-Schenkel

EE-Colunistas-aviso-geral

28 jun 2017

Prev
Next

Atendimento e experiência deveriam ser foco dos empreendedores

Imagem site entre elas empreendedorismo feminino 16

Não é a primeira vez que abordo o tema experiência em meus artigos. Vou reforçar mais uma vez: nos próximos anos, a experiência de compra vai ser o principal motor competitivo dos negócios. Atendimento e relacionamento deveriam estar casados! Grandes mudanças no atendimento estão por vir e quem não acompanhar as demandas do consumidor 3.0, vai ficar de fora do mercado.

Conveniência e rapidez são algumas das esperas do consumidor, que não quer mais se esforçar para ser bem atendido. Na verdade, ele está aguardando receber as coisas de “mão beijada”, e isso é um grande diferencial para as empresas. Afinal, qual é o bem mais valioso das pessoas atualmente? O Tempo!

Valor, experiência de compra e atendimento são mais importantes que preço: especialmente no Brasil, quanto melhor o atendimento, mais chances de continuar competitivo! Expandir os canais de autoatendimento finalmente será percebido de que é uma demanda real e necessária. O autoatendimento no Brasil ainda não é majoritário entre as empresas, mas os consumidores brasileiros demandam isso mais do que podemos imaginar.

Marketing e relacionamento estarão cada vez mais compostos, conforme o consumidor 3.0 vai tendo cada vez mais poder de espalhar informações positivas e negativas sobre as empresas. Canais alternativos, como mídias sociais, chat, email e atendimento inteligente estão ficando mais populares e até mais efetivos.

Ao invés de pensar em interações pontuais com cada cliente, as empresas vão precisar pensar em toda a jornada de relacionamento, considerando os momentos antes, durante e depois da venda. Atendimento proativo vai ser o diferencial.

Essas “dicas” não são segredos trancados a sete chaves, nem novidade para ninguém, verdade. Porém, cada vez mais raros de encontrar nas empresas, porém o consumidor já tem esta necessidade bem clara no mercado.

EE-Colunista-Adriana-BreierEE-Colunistas-aviso-geral

23 mai 2017

Prev
Next

E esse tal marketing digital?

Muito se fala em marketing digital hoje em dia, mas você sabe o que realmente ele é, e como fazer?

Pois bem, é sobre isso que vou falar neste artigo. Antes de mais nada, saiba que não existe uma fórmula secreta para fazer o marketing digital, ele é apenas o marketing tradicional adaptado para novas ferramentas.

Com a evolução da tecnologia da informação e da comunicação, em especial a internet, o marketing está cada vez mais presente nos canais online. Mas para seu negócio estar lá, você precisa entender o que é o marketing. Conhecer ao máximo o seu público alvo, entender que hoje em dia “o conteúdo é rei” e que, se você se propõe a fazer marketing digital para o seu negócio, você precisa ter um planejamento.

Segundo a Associação Americana de Marketing (AMA), “Marketing é uma função organizacional e uma série de processos para criar, comunicar, entregar e trocar ofertas que tenham valor para os consumidores, clientes, parceiros e sociedade em geral”.

E o marketing digital?

  • Nada mais é que promover produtos, serviços ou marcas por meio de mídias eletrônicas – Novas mídias.
  • A maneira mais econômica de promover produtos ou marcas, pois sua execução não demanda muitos recursos financeiros;
  • Proporciona maneiras de se comunicar com seu público de forma direta, personalizada, e nos momentos mais oportunos;
  • Certamente a maioria do seu público utiliza a Internet todos os dias, então você precisa fazer marketing digital!

Para inicia uma estratégia de marketing digital no seu negócio alguns passos são extremamente importantes:

1)     Conheça o seu público alvo: Para quem você estará entregando conteúdo. Existem ferramentas como o mapa de empatia e a persona que podem lhe ajudar com isso.

2)     Determine objetivos: o que você deseja em relação a sua estratégia?

3)     Plataformas/mídias online: Quais você vai utilizar? Youtube, Facebook, Instagram, Site, E-mail marketing??

4)     Conteúdo: O público deve confiar em você, então crie conteúdos que gerem valor para as pessoas.

5)     Plano de ação: Desenvolva o conteúdo, programe as publicações. Mantenha uma constante de publicações!

6)     Monitoramento: Analise os conteúdos que mais engajaram e os horários mais assertivos. Monitore os resultados.

Espero que tenham gostado das dicas. Agora é hora de colocar em prática seu planejamento e ações de marketing digital!

EE-Colunista-Cíntia-Schenkel

EE-Colunistas-aviso-geral

16 nov 2016

Prev
Next

Você REALMENTE conhece o seu público alvo?

01

 

Os empreendedores e empresários precisam entender como os seus clientes pensam, o que sentem, quais seus interesses, hábitos, gostos e, principalmente, quais os problemas que eles enfrentam e que o seu negócio (produto ou serviço) pode ajudar a solucionar.

O conhecimento aprofundado sobre o seu público-alvo, vai ajudar em todas as estratégias do seu negócio, principalmente quando falamos de marketing.

Uma boa ação de marketing é aquela que conquista a atenção do cliente. Ou seja, se você não conhece os reais interesses, como você vai gerar um conteúdo interessante para atrair mais clientes?

Existem duas ferramentas que podem ser utilizadas para ajudar a estruturar uma descrição coerente sobre uma “hipótese de perfil de cliente” e assim apoiar nas campanhas de marketing, aprimorar produtos ou auxiliar em outras decisões sobre o negócio.

São elas, o mapa de empatia e a persona, ferramentas visuais e simples de aplicar que ajudarão na jornada de entender os seus clientes. Vamos conhecer um pouco cada uma delas:

O mapa de empatia tem como objetivo você adotar o ponto de vista do público-alvo e observar o universo destas pessoas através de seis ângulos diferentes. Desta forma, você tem uma compreensão melhor sobre o que pode influenciar a decisão do cliente.

Persona é a representação fictícia do seu cliente ideal. Para definir uma boa persona você justamente deve ter contato com o seu público-alvo. Ela é baseada em dados reais sobre comportamento e características demográficas dos seus clientes, assim como uma criação de suas histórias pessoais, motivações, objetivos, desafios e preocupações.

A Apipa disponibiliza essas duas ferramentas em PFD, para download gratuitamente neste link: http://goo.gl/VWvzSa

Aproveite e baixe já essas ferramentas fantásticas!

EE-Colunista-Cíntia-Schenkel

EE-Colunistas-aviso-geral

27 out 2016

Prev
Next

Empreendendo: Como testar ou validar seu modelo de negócio, na prática!

Uma metodologia recente vem questionando e desconstruindo um modelo tradicional utilizado para a criação de um negócio. Grande parte das empresas foram criadas baseadas em plano de negócios minuciosos, onde quase tudo era colocado em pauta, menos o consumidor em questão. Neste modelo tradicional, a atenção sempre foi mais voltada em criar um produto ou serviço que pudesse atender um público específico mas sem que este pudesse realmente ajudar na construção com a exposição dos seus reais interesses ou necessidades.

No modelo proposto pela medotologia “Lean Startup” a lógica é justamente colocar a opinião do cliente / feedback como estratégia para o processo de criação de uma empresa. Neste sentido faz se necessário testes de produto chamado produto mínimo viável (MVP) junto com clientes e parceiros para testar hipóteses, fazer pequenos ajustes ou até mudanças radicais, este último chamado “pivotar”.

Este método “enxuto” é baseado na necessidade de agilidade para o desenvolvimento de startups e também apoiado no sistema Toyota de produção produção enxuta. Assim, surgiu o Lean Startup ou Startup enxuta.

Este método tem como base 3 premissas: (1) o empreendedor aceita que tem uma série de hipóteses não comprovadas e que precisa testar e validar. Neste primeiro ponto ele, ao invés de criar um plano de negócio minucioso, desenha as suas hipóteses em um mapa, conhecido como “Canvas do Modelo de Negócio”. (2) A segunda etapa do processo é chamada “desenvolvimento de clientes”, neste momento a empresa vai até o mercado para pedir opinião aos clientes e parceiros sobre os elementos do modelo de negócios e apresenta um produto mínimo viável. Com base nas informações extraídas dos clientes a empresa pode ajustar as hipóteses ou no caso de mudanças radicais, “pivotar ”. Esse ciclo pode acontecer diversas vezes se necessário, porém com agilidade. (3) No último momento a empresa vai testar um produto mínimo viável no mercado. Lembrando que aqui o MVP já foi avaliado com uma parcela de possíveis clientes. Esta etapa é conhecida como “desenvolvimento ágil” e anda de mãos dadas com a etapa anterior, desenvolvimento de clientes.

Atualmente, muitas empresas criadas não passam do primeiro ano de existência. Um dos indícios é justamente porque as empresas utilizam o modelo tradicional onde o produto é preparado totalmente para ser colocado no mercado e aguardam a resposta dos clientes, a compra. Em contraponto com isso, o modelo enxuto busca a participação do cliente, através de feedback e opiniões. O produto neste caso é criado em um processo iterativo e incremental.

Contudo, é possível concluir que trazer o cliente para o centro do processo, fazendo ele participar ativamente no desenvolvimento do negócio pode resultar em resultados melhores e melhores chances de sobrevivência no mercado.

Quer testar ou validar um produto ou serviço novo, ou mesmo repensar o seu modelo de negócio? Conte com a Apipa Consultoria!

EE-Colunista-Cíntia-Schenkel

EE-Colunistas-aviso-geral

22 jul 2016

Prev
Next

Transformando ideias em ações!

 

Você já passou por situações em que ideias e projetos não foram transformados em ações? Você já levantou uma oportunidade de melhoria em seu negócio, seja com o seu sócio(a), sua equipe ou até mesmo sozinha e isso acabou ficando apenas no campo das ideias?

Ser criativo é super importante, mas não é o suficiente. Você precisa planejar e executar as ações. Outro dia escrevi um artigo aqui – feito é melhor que perfeito  -  sobre a prática do FAZER, começar mesmo que em uma versão simples – beta – para, a partir daí, ser complementada. Faço novamente essa relação para lembrar que devemos SIM, colocar as ideias em prática se queremos algum resultado. Tenha em mente que se você não fizer nada, não existirão resultados.

Esse artigo tem o propósito de ajudar a transformar ideias em ações, apresentando uma ferramenta muito simples, mas valiosa!

A ferramenta que estou me referindo é chamada de Kanban Flow, que serve basicamente para que você e/ou sua equipe possam visualizar de maneira concreta o andamento das ações e saber o estágio em que elas estão.

A partir do momento em que você expõe neste canvas as ideias, você pode acompanhar o andamento delas e, óbvio, se comprometer em fazê-las avançar para as próximas etapas.

O KanBan Flow consiste em quatro colunas na seguinte sequência: Ideias, Ações Iniciadas, Ações em Andamento e Ações Concluídas.

Como ideias compreende-se as oportunidades de melhoria, os insights que possam surgir a qualquer momento e que de maneira alguma devem ser perdidas ou esquecidas. Uma ideia passa para a coluna ação iniciada no momento em que ela é organizada e planejada para a implantação imediata. Quando essa ação tiver sido implantada e alguma etapa já estiver concluída poderá passar para a coluna seguinte, ação em Andamento. Por fim, uma ação só deve passar adiante, para a coluna ação concluída quando estiver de fato totalmente implantada.

apipa imagem entre elas

A grande sacada é deixar esse quadro impresso, fixado em local visível. Para a transição das ideias e ações você poderá utilizar etiquetas adesivas (post-it’s).

“Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer nada, não existirão resultados.” Mahatma Gandhi

Se você quiser receber este material e outras ferramentas ágeis de planejamento para impressão é só enviar um e-mail para contato@apipaconsultoria.com que teremos o prazer de compartilhar com você!

 

Cíntia Schenkel Mertins | Consultora de Marketing | Apipa Consultoria

EE-Colunista-Cíntia-Schenkel

EE-Colunistas-aviso-geral

22 abr 2016

Prev
Next

3 Lições do filme Missão Madrinha

Eu escrevo sobre casamento e festas desde 2009, quando criei um blog sobre o assunto, na época eu tinha começado a organizar meu próprio casamento.  Espia o blog aqui! Desde 2009, claro que já olhei vários filmes sobre madrinhas, casamentos e afins, a grande maioria é comédia sobre este período tão, digamos, ‘especial’.

Mas estes dias tava começando o filme ‘Missão Madrinha’ no Telecine Fun e eu então fui olhando, o filme tem a atriz Melissa McCarthy, da série Mike & Molly, que eu adoro. Então mesmo o filme sendo mais velho, eu decidi acompanhar.

Eis que agora, numa fase não noiva, eu devo ter aproveitado o filme com outro olhar, além de rir, pois sim, o filme é MUITO engraçado para um filme, digamos mulherzinha. Sim, parece preconceito dizer filme mulherzinha, mas este termo super usado é uma categoria de filmes que os homens torcem o nariz, e uma das coisas boas em ser mulher é poder olhar esta categoria de filmes sozinha, rir, chorar. Coisas que homens também podem e devem fazer, mas pra gente é terapia.

Então vamos conferir 3 lições tiradas do filme:

Lição 1 – Fracasso x Sucesso

A melhor amiga da noiva, está passando um perrengue. Pois sua antiga loja de doces, do qual ela que fazia os doces, faliu. Dividindo apartamento com dois irmãos, um casal bizzaro, ela possui um carro velho e trabalha atualmente numa joalheria.

A mais nova amiga da noiva, é rica e quer mostrar isto em suas escolhas, como vestido, local da despedida de solteira(Vegas), entre outros exageros.

Quer nos deixar mais pra baixo do que alguém ostentando tudo que você não tem? Ou então nos colocando numa pressão para gastar o que não temos num dos momentos mais “sem grana” da vida da gente?

Poisé, a amiga a noiva desde infância, a “doceira”, tinha na cabeça que tinha fracassado com sua loja de doces e largou esta paixão de lado, seu mindset projetou que permitir falir uma loja, é motivo que ela não poderia mais ter uma loja, pois para ela e seus familiares, ela tinha fracassado.

tumblr_lsm80lBV1H1qbwxizo1_500.png

Mas vamos ao contexto real: ela poderia ser boa no produzir os doces, mas e a gestão? Ela tinha alguém bom para fazer ou ela então foi aprender?

E o ponto de venda? Era bom para o seu negócio?

Como era feito o marketing? Mostrava o propósito do negócio?

Então minhas caras, falir é uma coisa normal, em nosso país somos discirminados por tal ato, mas ter sucesso não siginifica não ter falido, não ter pegado empréstimo para sanar dívidas, não é ter errado muito até acertar. E aí entra a resiliência, a coragem empreendedora. Claro, que ninguém deve e vai ficar anos tentando algo por amor que não lhe proporciona lucro, pois isto adoece e estressa qualquer um. Mas é preciso avaliar o contexto, tem muita gente abrindo empresa, não investindo em marketing inteligente, as vezes num ponto de venda horrível, e daí fecha em um ano e fica com a imprensão que não é bom administrador, não nasceu para fazer aquilo, que empreender na sua paixão ou hobby é para quem já tem muito dinheiro. Mito! É preciso pegar os aprendizados, como disse a Scheron no último texto dela, e testar rápido, errar rápido e aos poucos, nós acertamos.

Lição 2 – Amar a nós mesmo para querer ser amada

Se nem você confia em si mesma e se ama, como querer exigir isso dos outros? Amor próprio deve sim vir antes de amor aos filhos e ao marido. Pois só se amando e confiando em si, estará com autoestima para dar amor, passar confiança, afeto, ser boa companhia e inspirar quem te rodeia. Fato! Se ame, para ser uma mãe maravilhosa, se ame para ser uma boa profissional e líder, se ame para dar amor ao seu par, se ame para se sentir empoderada! Como? Se cuide, se mime, se hoje fez faxina no banheiro, amanhã deixe os pés ‘de molho’ num spa caseiro, emagreceu? Se permita comprar uma nova lingerie, não use ‘roupa de casa’ se trabalha em casa, use uma roupa que quando se olhar no espelho vá reafrimar a auto imagem que você quer ter de você: uma mulher segura, amada e que faz acontecer. Na BYS, empresa de consultoria de estilo e imagem, do qual sou sócia, nós temos um trabalho que resgata muito bem a auto-estima e o amor próprio das mulheres, é transformador. Confira aqui!

Lição 3 – Problema x Solução

tumblr_lsb2fwXQCs1qbwxizo1_500.png

Tem um texto de  Osho que reflete sobre a questão das pessoas realmente quererem resolver seus problemas. Ele traz que existem pessoas que se não tiver problema, não terão sobre o que falar.  E ele questiona: “VOCÊ QUER MESMO RESOLVER SEU PROBLEMA, OU SÓ QUER FALAR SOBRE ELE ?
Quando li o texto dele, me identifiquei com as pessoas que querem resolver os problemas das outras pessoas, pois se alguém vem me dizer que está com dor, eu já questiono foi no médico, fez tal coisa, tomou tal chá, agradece por estar vivo? Se não está vendendo, penso em soluções para sugerir, pois REALMENTE acredito que a solução de nossos problemas só acontecerá por nós.

Um trecho deste texto maravilhoso de Osho:

“As pessoas se agarram às suas doenças, se agarram às suas queixas, se agarram a tudo que as afligem. Elas vivem dizendo : “Isso é como uma ferida e eu gostaria que ela fosse curada”. Mas lá no fundo elas continuam criando feridas, porque, se todas as feridas forem curadas, elas têm receio de que também deixarão de existir.”

Eu sou meio pá, pum, chega de mimimi, se quiser tem que fazer e assim por diante. Então este questionamento que uma das madrinhas faz para a melhor amiga da noiva no filme é super verdade, nós somos o nosso problema, e somos a solução. Doença crônia é igual a comportamento crônico, seja de comer mal, de ser sedentário, de fumar, de beber….

Então nossos problemas são produzidos através de escolhas e ações nossas, sofremos ou curtimos as consequências. Ficamos reclamando ou procuramos a solução. O sofrimento existe porque damos força a ele. Sem nossa força nada pode existir.

manu damasceno entre elas NH

EE-Colunistas-aviso-geral

26 fev 2016

Prev
Next

Porque é importante estabelecer metas!

Olá mulheres empreendedoras, sei que já passamos da metade de fevereiro e que muitas já devem ter definido e escrito suas metas, compartilhado elas com alguém, fixado em um local visível para lembrar, montado um planejamento para ir em busca de realizá-las, certo? OU NÃO?

Bom, independente da resposta quero deixar claro que nunca é tarde para começar a sonhar e ir em busca de seus objetivos. Portanto, se você iniciou o ano de 2016 a mil em função de trabalho e acumulo de atividades “pós férias”, e ainda não teve tempo para estabelecer suas metas e planejar, A HORA É AGORA!

Venho através deste artigo convidar você a praticar um comportamento que toda empreendedora de sucesso deve ter que é o ESTABELECIMENTO DE METAS! Isso mesmo, metas, metas, metas!!! Você precisa ter bem claro onde quer chegar, quais serão os objetivos que te moveram para trabalhar e realizar.

Para estabelecer suas metas você pode utilizar do método SMART que defini alguns critérios para definição.

A Definição da sigla SMART em inglês: Specific – Measurable – Attainable – Relevant – Time-bound

0001

Específica – Especificidade naquilo que se quer atingir, com números e dados. Quando mais claro estiver para você, mais fácil vai ser planejar ações para alcançar.

Mensurável – Se a meta não pode ser medida, quer dizer que ela nunca será alcançada. É o indicador para poder avaliar ao longo do percurso quanto falta para alcançar a meta, se precisa se esforçar ou se está conseguindo cumprir no período que determinou.

Alcançável – A meta deve ser possível de ser atingida para não gerar desmotivação, ao mesmo tempo que não pode ser tão pequena a ponto que você permaneça na zona de conforto. Busque se desafiar!

Relevante – Aqui quero chamar sua atenção para uma questão de significado pessoal. Estabeleça metas que farão você ter motivação todos os dias para ir em busca. Que mesmo em situações desafiadoras você não perderá o foco. Sabe aquilo que você quer muito e senti até um frio na barriga de pensar em como seria bom realizar? Esse é o ponto!

Temporal – Defina o prazo para tudo acontecer. Cada passo dado deve ser planejado dentro do período estipulado. Uma tarefa que não tem prazo definido é algo que nunca será feito (pense nisso)!

Após definir suas metas SMART lembre-se de olhar para elas sempre que possível, compartilhe com alguém de sua confiança, isso gera um comprometimento maior de sua parte.

SE VOCÊ PODE SONHAR, VOCÊ PODE REALIZAR

Walt Disney

 

Desejo muito sucesso e foco para realizar suas metas em 2016!

 

Cíntia Schenkel Mertins

Consultora Empresarial, Apipa Consultoria.

EE-Colunista-Cíntia-Schenkel

EE-Colunistas-aviso-geral

24 fev 2016

Prev
Next

Como está o seu marketing de relacionamento?

É fato que empresas, tanto as grandes quanto as pequenas, sabem da importância de realizar ações de marketing para captar clientes e aumentar suas vendas.

Mas, estamos na era do relacionamento e vender não é o suficiente. É preciso se relacionar com os clientes.

Quando você conquista o seu cliente em todas as etapas da venda é possível criar uma relação de confiança. Nessa relação o cliente saberá que pode contar com sua empresa sempre que precisar.

Não basta vender, tem que conquistar e trabalhar para manter uma relação forte e duradoura.

A ideia central do marketing de relacionamento é manter-se em contato constante com os clientes, oferecendo-lhe ajuda, conteúdo, informações e esclarecendo suas dúvidas.

Estando sempre presente na vida do cliente que a empresa terá uma relação, em longo prazo, com os mesmos.

Esse contato faz com que a marca seja fixada na mente dos consumidores.

As empresas, que hoje são focadas em relacionamento com o seu público, tendem a ter melhores resultados em geral, pois elas contam com clientes fixos que se tornam os defensores, seguidores e aliados da marca.

Empresas que trabalham todas as suas ações visando relacionar-se com seus clientes, trazendo conceitos de bem estar, felicidade e relacionamento, por exemplo, não precisam focar a sua comunicação na venda do produto, pura e simplesmente. Trazer o sentimento para a marca é a melhor maneira de humanizar a mesma e torná-la mais próxima de seu público.

 Algumas ações para sua empresa começar a pensar em marketing de relacionamento:

  • Não pense nos seus clientes como pessoas que somente compram o seu produto. Pense neles como a oportunidade de um novo relacionamento com confiança e credibilidade.
  • Para ter relacionamentos duradouros com seus clientes, tente seguir as seguintes regras: captar, reter, fidelizar e fazer ações de pós-venda. Com essas regrinhas fica mais fácil manter o cliente satisfeito. Mas é importante saber que ações de marketing de relacionamento geram resultados em longo prazo.
  • Não se esqueça das mídias sociais. Esta se trata do meio mais simples de estar perto de seu cliente; aberto para conversas; negociações etc. Afinal, as redes sociais chegaram para criar relacionamentos. Mas é necessário tomar alguns cuidados: as redes sociais necessitam de manutenção e geração de conteúdo. Defina tempo para se dedicar a elas e criar conteúdos relevantes para os seus clientes.

Trabalhando com essas ações, sua empresa caminhará em direção ao sucesso.

Cultivar o relacionamento com cada cliente de forma pessoal e exclusiva certamente é o plano ideal para destacar-se em meio à concorrência.

Então, vamos começar nosso marketing de relacionamento?

EE-Colunista-Daniela-Neves

EE-Colunistas-aviso-geral

18 nov 2015

parceiros