Tag Arquivos: história empreendedora

Prev
Next

História empreendedora Mônica Santos

Imagem site entre elas empreendedorismo feminino 02

No último evento do ano do Entre Elas, tivemos a honra de contar com a presença de Mônica Santos, esgrimista, gaúcha, mãe, mulher e batalhadora, na história empreendedora.

Mônica teve a perda dos movimentos das pernas em 2002, e na busca de saber o que estava acontecendo, descobriu uma gestação de 4 semanas. Como quase toda mulher, Mônica sonhava em ser mãe. Entre interromper a gestação ou ter a chance de voltar a caminhar, optou por levar a gravidez até o final.

Paolla, junto com o marido, são a grande inspiração para a Mônica na sua luta diária para superar desafios, dores e todos os obstáculos da vida.

Além de uma mulher muito bonita, o sorriso que Mônica carrega, junto com sua simplicidade, por si só, são pura inspiração.

Depois de muitas fisioterapias, adaptada na sua ‘nova vida’ e com a filha “criada”, Mônica buscou algum propósito maior, queria se sentir mais realizada. Foi onde resgatou na sua paixão pelos esportes, pois quando era jovem pensou em ser jogadora de futebol, a busca por alguma atividade que lhe desse a tal realização.

Tentou basquete, experimentou kart e vela, e ainda ciclismo e tiro esportivo, até que em 2010, a esgrima lhe escolheu e a acolheu para a alegria do RS e do Brasil. Pois de lá pra cá Mônica já conquistou diversas medalhas, viajou o mundo representando o esporte, tanto em equipe, como solo. E este ano para orgulho geral, ela participou dos Jogos Paraolímpicos do RJ.

A paixão pelo esporte deu novas oportunidades à Mônica, e você, qual sua paixão? O que pode te mover rumo a novas conquistas?

Segundo a Mônica, podemos e devemos ser nosso próprio ídolo, pois é VOCÊ  e VOCÊ no final.

“Não existem limites para a felicidade.” O importante é aproveitar e curtir muito o trajeto. É nele que você aprende, erra, se supera, conhece gente, se aprimora e vive o presente da vida.

A Mônica é uma história empreendedora inspiradora, pois ela foi lá e fez, teve resiliência para se reinventar, não se posicionou como vitima do mundo, supera assim como muitas mulheres, grandes desafios, preconceitos, dores… diariamente. Ser mulher, ser portadora de deficiência no Brasil, ser esportista no Brasil, ser de uma cidade do interior, entre outras adversidades, nunca limitou a força de vontade desta grande mulher. Uma bela história para encerrar 2016, né?

Ano que vem contaremos mais histórias e inspiraremos muito mais mulheres!

Grande abraço!

manu damasceno entre elas NH

13 dez 2016

Prev
Next

História Empreendedora: Aline Heinen da Star Bags

Milene Venter Fotografias-129

Dizem pesquisas que se empreende por necessidade ou por oportunidade. Ou seja, se avalia uma demanda que ainda não foi atendida ou está carente e se cria uma OPORTUNIDADE. Ou por, falta de emprego, por recolocação no mercado ou ainda, para ocupação por uma depressão ou outra doença, se empreende por necessidade. A Aline da Star Bags identificou uma oportunidade, mas também uma necessidade. Como assim?

Aline teve sua mala trocada no aeroporto, o que não é uma experiência legal, e depois disso teve a ideia de pedir para sua mãe fazer uma capa para sua mala. A capa que sua mãe produziu fez sucesso nas viagens e entre amigos.

Ela aproveitou uma oportunidade de demanda para um produto inovador e, a necessidade do seu marido precisar trabalhar na época, pois estava desempregado. Pronto, nasceu a Star Bags.

Star Bags é uma capa de proteção para malas que proporciona segurança, beleza, economia, personalização e praticidade.  Possui fechamento que permite cadeado e com possibilidade de personalização.

A Star Bags já teve loja no aeroporto de POA e neste inverno, está tendo uma loja em Gramado, aqui no RS, onde nesta época a cidade é repleta de turistas, além da loja virtual.

Apesar de todas as dificuldades que um empreendedor enfrenta neste país, a empresa só cresce. A Aline ainda não trabalha full time na Star Bags, mas o projeto só cresce e em breve torcemos para ela dedicar 100% do tempo neste projeto super inovador e bacana. Ela dedica um turno de trabalho para a empresa e tenta equilibrar com sua vida profissional e pessoal.

Com dedicação, coragem, persistência e um pouco de cara de pau, a Aline conseguiu emplacar matérias de TV com a Star Bags, em programas como: Bom Dia RS e Pequenas Empresas, Grandes Negócios.

Um depoimento bacana que a Aline deu na sua participação no último Entre Elas, em julho, foi de que o empreendedorismo resgatou e uniu sua família. E nós do Entre Elas acreditamos muito no poder transformador do empreendedorismo. As vezes alguns acontecimentos em nossas vidas nos fazem agir ou desencadeiam paixões que podem fazer nascer um plano profissional totalmente novo.

Próximos planos? Franquias, vendas nos EUA…o céu é o limite.

Quer presenciar a próxima história empreendedora? Dia 21 de Setembro, Eliane Magnan vai contar a sua história e da Elegance Lingeries. Garanta seu ingresso aqui.

Acompanhe nossas redes sociais: Instagram.com/projetoentreelasFacebook.com/entreelasnh

manu damasceno entre elas NH

11 ago 2016

Prev
Next

História Empreendedora: Aline Taís da Rosa da PetPapá

MVF_6067

Aline e sua mãe Maria da Graça.

Nunca se falou tanto em viver com mais qualidade e isto inclui nossa alimentação, e quando o assunto são nossos pets, já paramos para pensar que eles também podem manter uma dieta mais saudável com comida natural pensada para eles? Eu nunca!

Foi pensando em levar saúde e bem-estar para nossos amigos de quatro patas, que a PetPapá começou a produzir comida natural congelada para cães e gatos.

Empreender demanda medos, insegurança e muita coragem. E foi exatamente este caminho de coragem que a Aline, junto com a sua mãe Graça e, outro sócio, vem trilhando desde 2013, quando ela teve a ideia de criar a PetPapá e abandonou um emprego seguro para empreender.

A Aline contou em sua palestra no Entre Elas de maio, que teve uma caminhada turbulenta, com burocracia, pois seu tipo de empreendimento é do segmento de alimentação, dificuldades por falta de inexperiência em empreender, e claro, de investimentos. Mas junto com a escolha de empreender vieram os benefícios, como flexibilidade de horários e trabalhar com paixão, pois como ela destacou todo esforço e trabalho é para você, é seu!

MVF_6357

E todo serviço pesado, noites mal dormidas e obstáculos valem a pena? É só ver uma foto de um antes e depois dos animais que a PetPapá atende. Vários bichinhos com problemas de saúde, que em meses estão super melhores, com uma vida mais saudável e feliz.

A PetPapá conta com 3 sócios e uma colaboradora e, estão crescendo na região, além de terem chamado atenção de vários veículos de comunicação, uma vez, que nunca se procurou tanto proporcionar bem-estar aos animais de estimação, seja com a moda ou com produtos específicos para eles viverem melhor.

E para finalizar a Aline compartilhou o que ela considera importante na hora de empreender, e o que ela já faria diferente se começasse empreender hoje: ter capital de giro, estudar sempre, registrar sua marca, cuidar para separar amizade e negócios na hora de contratar, legalizar o negócio, pesquisar o mercado para fazer diferente, ter pessoas certas para ajudar e acelerar o negócio e manter tudo documentado – eu anotei as dicas, e você?!

Nossa próxima história empreendedora será dia 21 de Setembro, reserva a data!

manu damasceno entre elas NH

21 jul 2016

Prev
Next

História Empreendedora O Amor é Simples

Conheça a História Empreendedora da equipe do “O Amor é Simples” que participou do nosso Encontro de março.

* Nome: Janaína Pasin, Laís Ribeiro e Natalia Pegoraro

* Idade: 28 anos

* Formação/currículo que será usado para sua apresentação/divulgação:
Janaina Kafer Pasin
Administradora de Empresas (PUCRS) especialista em Finanças e Economia (UFRGS). Ha 6 anos apoia empresas de todos os portes e diversos setores da economia atuando como consultora de Gestão (Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul), Sport Clube Internacional, Drebes e Cia Ltda (Lojas Lebes), Banco De Lage Landen Brasil, Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, entre outras).

Laís Ribeiro
Relações Públicas (UFRGS) e mestre em comunicação e inovação (Universidad de Málaga). Mais de 5 anos de experiência em Markerting Digital. Já passou empresas como Grupo RBS,3yz e BRX Brands. 

Natalia Pegoraro
Relações Públicas (UFRGS) e Especialista em Marketing pela FGV. Atua há oito anos com comunicação e estratégia digital em agências de publicidade e já trabalhou com clientes como Olympikus, Reebok, Dumond, Neugebauer, Unisinos e Lojas Pompéia.

* Negócio(s): E-commerce voltado ao mercado de casamento O Amor é Simples – www.oamoresimples.com.br

* Cidade e estado?  Porto Alegre/RS

* Há quanto tempo você é empreendedora?  2 anos

* O que te motivou a ter um negócio próprio?
O que nos motivou foi a ideia da marca: criar vestidos de noiva mais simples, não convencionais e a preços justos. Sentimos esta necessidade porque uma das sócias queria casar e não encontrava nenhum modelo mais simples, acreditamos muito na ideia e decidimos construí-la do zero.

* Quais os maiores benefícios da escolha de ter um negócio?
Acreditamos que é o fato de podermos tomar decisões e criar em cima do negócio, é um desafio constante e isso nos motiva constantemente a fazer e inovar mais. Além disso, criar uma marca com um propósito bacana, acreditar e ver que ela faz a diferença é muito gratificante.

* Quais as maiores dificuldades da escolha de ter um negócio?
A primeira é, sem dúvida, a questão financeira. Começar um negócio com pouco aporte é um grande limitador e decisões que envolver dinheiro estão presentes o tempo todo, é sempre uma constante. Além disso, há toda a questão legal e tributária, tivemos que estudar e aprender antes de colocar tudo no ar.

* Conte como foi sua trajetória e o que você acredita que possa motivar outras mulheres a seguirem seus sonhos:
Nós três passamos por empresas e agências antes de decidirmos pelo empreendedorismo. Tínhamos bons empregos, reconhecimento e estabilidade. Poderíamos ter continuado por este caminho; mas acreditar na nossa ideia, confiar em nosso potencial e não ter medo de arriscar, de fazer, de meter a cara foi fundamental tanto no lado profissional – já que hoje temos um negócio se consolidando nacionalmente, quanto no nível pessoal – tivemos que amadurecer, criar coragem, não ter medo, sermos resilientes. O ganho é muito grande e muito compensador. Claro que o medo está sempre presente, mas a gente não deixa que ele nos segue ou paralise, pelo contrário, ele nos motiva a fazer diferente, criar novas estratégias e alcançar novas conqusitas.

* Qual a principal dica que você gostaria de compartilhar com outras empreendedoras?
Nós diríamos para acreditar na colaboração. Hoje em dias parcerias são importantes para qualquer negócio e todo mundo por ganhar com isso.  Nós temos algumas expertises e, claro, não temos inúmeras outras. Não encaramos como fraqueza e acreditamos muito no poder do trabalho colaborativo. Com isso, estamos sempre em busca de novas parcerias profissionais com pessoas que complementem nosso conhecimento, projeto ou negócio.

Quando todo mundo ganha, fica ainda mais delicioso empreender. Pelas conexões, aprendizados, descobertas e entender que se é mais forte em conjunto.

* Tem algum conselho do que FAZER ou JAMAIS FAZER?
Sobre fazer é: faça, ter ideias do papel, vá para ação. Se não o tempo passa, a empolgação se perde e a ideia fica engavetada. Ver um projeto na rua é o melhor motivador para tirar o próximo do papel.

* Se tiver algum pensamento/frase que rege sua vida empreendedora, compartilhe com a gente. Deixe uma mensagem:
Acredite sempre!

* Escreva seus contatos:
Contato@oamoresimples.com.br
www.oamoresimples.com.br

18 abr 2016

Prev
Next

Gente que inspira coragem na gente

11017851_580284482110981_7235867650525537057_n

O momento é de crise, é o que muitos podem acreditar, mas a agenda da empresa que Scheron Dilkin é sócia, não tem mais horário pelos próximos meses. Isto mesmo. Scheron cursou direito, trabalhou no setor de eventos de uma entidade e tem espírito empreendedor, já formada, resolveu ser sócia num segmento totalmente novo e está sendo bem sucedida antes dos 30 anos. Parece fácil? Que nada, ela chora, se suja, tem glamour, é gente como a gente, mas ela tem coragem e ousadia, e ela inspira coragem na gente também.

A Scheron passou pelo Entre Elas na edição de julho para contar sua história empreendedora e super nos inspirou com sua coragem de dizer que se formou em direito, mas que não quis trabalhar na área, o que é super normal nos dia de hoje, a gente querer realizar o um sonho de cursar uma graduação, mas as vezes não querer atuar na área. Teve coragem de assumir um evento grande numa entidade da região, quando só tinha feito festas para amigos e familiares, mas ela gostava de gente, de comunicação, de fazer acontecer, aí é difícil dar errado, quando se tem vontade.

Hoje, ela é sócia da Leal Casa Limpa, com vários projetos para expandir a empresa, o projeto é um grande desafio que ela está adorando, e ela também destacou a vantagem de ser mulher, pois somos mais desembaraçadas para resolver os problemas, para seguir em frente e fazer acontecer, as mulheres se permitem mais!

E você, se permitiu? Qual foi sua transformação esta semana, este mês?

11222586_580283788777717_7410381152745225751_n
manu damasceno entre elas NH

28 ago 2015

Prev
Next

Bonita, simpática e com espírito empreendedor, assim é difícil não inspirar

11055293_549315155207914_3434303422819586261_o

Desde que eu conheci a Michelly, eu sempre a achei bonita e simpática, duas características difíceis de se relacionarem, ou talvez aos olhos das mulheres isto é difícil. Pois logo procuramos os defeitos nas outras mulheres, para querer justificar o porque do nosso cabelo não ser tão brilhoso quanto o da outra pessoa, porque não termos o corpo tão malhado quanto, ou ainda, por não sorrirmos tanto como a tal. Até “inventamos” histórias como: mas ela deve ter empregada para fazer tudo pra ela, etc, etc. Mas isto é assunto para outro texto, que até já anotei aqui, pois viram que eu me inclui neste contexto todo, né?

A Michelly é natural de SC, veio para o RS com o namorado, e teve que começar do zero na sua profissão de nutricionista. No início, ela contou que ia de metrô para Canoas, para atender um paciente em consultório que conseguiu espaço para trabalhar. Vendo as “desculpas” e ouvindo as histórias de seus pacientes sobre dietas e dilemas para se alimentarem bem e melhor, ela que sempre acreditou que trabalhar para os outros não era tão empolgante, e no fim, mais difícil de enriquecer. Já que mesmo dando melhores resultados, no fim do mês, o valor seria praticamente sempre o mesmo a receber, ela pensou em conciliar um de seus hobbies, cozinhar com o gosto por empreender, e então criou a NUTRIFIT em fevereiro de 2015. O conceito da Nutrifit é marmita saudável, já que os dias são tão corridos, as marmitas são feitas com produtos saudáveis, refeições balanceadas, e o melhor por uma nutricionista.

Ela também optou por adequar a dieta do cliente, no caso de pessoas que estão sendo acompanhadas por outros profissionais. Entre as refeições, tem pratos principais, lanches, sopas, sucos e vitaminas. Eu já provei e super aprovei.

O mais legal que achamos que vale pra vida e que isto sim é espírito empreendedor é:

A Michelly viu uma oportunidade dentro do seu segmento e sua formação e aproveitou.

E ainda em algo de que gostava, pois sabia cozinhar, testou e vem dando certo.

Então é aquela história de ver o cavalo encilhado passando… ele geralmente passa só uma vez.

Algumas pessoas acham que empreender é só abrir uma empresa ou home office, mas não é, você pode fazer isto na empresa onde trabalha. Você é operador de uma máquina, e vê/descobre que aquela máquina é capaz de fazer um outro produto que vem tendo uma abertura no mercado, tu leu isto em algum lugar, tu viu isto numa viagem, numa conversa…

Na segunda, tu vai e comenta isto com teu chefe, com teu “patrão”, como falam por aqui, dá a ideia, pesquisa antes talvez como seria, tu viu uma nova oportunidade para a empresa e não guardou para ti, tu mostrou iniciativa. Tu pode ainda falar que quer participar do projeto, dependendo de como é a empresa ou a tua participação nela, isto é intra-empreendedorismo, algo que as empresas precisam, outras já procuram.

Para finalizar, a Michelly poderia estar trabalhando só com atendimento clínico, que já deve ser ok para uma nutricionista formada e com pós iniciada. Mas para mulheres que inspiram, que buscam mais, uma história própria, e não só por uma inquietação, ou por não querer ter patrão, como as vezes intitulam os empreendedores. Mas por algo maior, uma empresa com propósito, seja ele de serviços ou produtos, neste caso, as marmitas saudáveis colaboram com quem quer comer bem e manter uma vida saudável, mesmo que com sem tempo, mas sem gastar horrores, outro ponto legal que a Michelly também ouvia no consultório dos seus pacientes: comer bem, se gasta muito, então ela queria ajudar nesta questão, o alerta dela percebeu que as pessoas pagavam para comer bem, mas ela também poderia cobrar um valor mais justo.

Então neste caso, poder alinhar FORMAÇÃO + HOBBY + ESPÍRITO EMPREENDEDOR = EMPRESA LEGAL

Não que DIVERSAS pessoas que abandonaram de vez suas áreas de formação não tenham empresas legais e se dado bem, mas convido você a olhar 360º para sua formação/carreira, talvez tenham áreas mal atendidas que você possa atender e ou criar uma super empresa.

manu damasceno entre elas NH

14 mai 2015

Prev
Next

Uma História Empreendedora baseada na disciplina e na execução

Todo grande líder é querido por sua equipe, ele inspira. Isto não dizer que ele não terá dias difíceis, ou que ele é só sorrisos.

Uma regra de ouro que aprendamos nestes 3 anos de pesquisas, palestras e cursos para o Entre Elas, é que líder não precisa (e não é legal) ficar gritando. Parece tão simples e óbvio isto, né? Mas não é, principalmente em nossa região, pela cultura dos empresários, e ainda, por uma parcela de empresas serem familiares, mas não vamos entrar nestas questões. Eu mesma, convido com várias pessoas que trabalham em indústrias que contam cada história de gritos e zero liderança que inspira, que daria um livro, não um só um texto, mas enfim. E um livro claro, que como não ser um líder inspirador, mas deixa eles terem suas marcas estampadas nas revistas de moda e faturarem milhões ou bilhões.

A história empreendedora de março, o primeiro evento do ano, não poderia ser melhor, Débora Oppitz Giacomet, diretora, superintendente da Metalúrgica Daniel, tem foco total em bons resultados. Bons resultados na verdade é o que motiva ela. Eu precisava ouvir uma história de uma pessoa como ela, firme(ela foi professora) então fala forte e bem, tem postura de vencedora, é uma mulher relativamente pequena, mas se vê de cara que ela adora desafios, e ela afirmou no final do bate-papo, desafios constantes motivam ela.

Débora é uma mulher de sucesso, empoderada e engajada, e como ela nos contou, nós precisamos estar bem, com nossas necessidades básicas e também alguns objetivos atendidos para querer ajudar o próximo e se engajar com a comunidade.

A empresa é da família da Débora, e a sucessão, segundo ela, mais cedo ou mais tarde, vai ocorrer, mas é preciso estar preparado. Ela estava! Tudo começou em 1989. O foco de sua gestão é a inovação com uma gestão baseada na disciplina e execução, assim a rentabilidade e diferenciação gera uma competitividade saudável e um crescimento contínuo. Outro foco é uma governança compartilhada com regras claras, e isto também é difícil de se encontrar, ponto para a Débora (me deu até vontade de trabalhar com ela aqui – hehehe).

Outro ponto interessante da empreendedora, é que ela foca muito em estratégias e destacou a importância de uma metodologia. Débora destacou a ferramenta PDCA, que é: EXECUTAR, AVALIAR, CORRIGIR, PLANEJAR, e depois tudo novamente. Isto exige, humildade, disciplina e paciência.

Como referencial de exemplos, ela destacou sua família e mulheres que já passaram pelo Entre Elas, como Fátima Daudt e a ex-governadora Yeda Crusius, que inclusive, em recente evento que a equipe Entre Elas foi convidada para participar, também destacou a importância de se mapear o problema e aplicar algum método para resolver.

Uma dúvida que a Débora esclareceu também foi sobre participar de entidades, ela reforçou a ideia que é super importante, uma comunidade que gera fontes de conhecimento, muitas trocas, realmente uma conexão empresarial e pessoal super interessante. Ela já participou da coordenação da ACI, Tesoureira da FEEVALE e Gruposinos, entre muitos outros.

Débora além de diretora superintendente da Metalúrgica Daniel adora cozinhar e correr, e você qual seu hobby?

Quais suas referências que lhe inspiram? Eu tenho as minhas, na verdade este mês eu fiquei super feliz, pois estou escrevendo meu TCC e descobri o banqueiro dos pobres, Muhammad Yunus, e ele é o meu mais novo referencial de pessoa.

E a pergunta que eu quero deixar é:

Qual seu jeito de ser na sua empresa?

manu damasceno entre elas NH

01 mai 2015