Prev
Next

Dinheiro na mão é vendaval…

photo-1459257831348-f0cdd359235f

Certamente você já ouviu ou cantarolou esta música alguma vez né?!

Pois bem, vai um choque de realidade ai: Não é vendaval não!

Esta sensação do dinheiro não parar na carteira é porque estamos no automático e não nos damos conta de pequenos gastos que fazemos no dia a dia.

Proponho aqui um pequeno exercício: Durante um dia anotar tudo o que gasta. Vale ser no celular, no guardanapo do restaurante, papel de pão ou caderninho. O que conta é anotar.

Exemplos: Deu R$ 0,50 na sinaleira? Anota.

Não resistiu aos apelos de chocolate para o filho no bar da escola? Anota.

Estacionamento rotativo no centro da cidade? Anota.

Tinha feira orgânica na saída do banco e comprou moranguinhos? Anota também!

Cafezinho barato na padaria da esquina? Anota, anota e anota. Anota tudo.

Vale também guardar os tickets de pagamento pra ver se não esqueceu de nada.

No final do dia é só passar a régua, somar tudo e ver quanto voou, ou melhor, saiu da sua carteira. Se quiser ampliar esta noção de gastos, confere lá no extrato bancário se tem algum débito automático programado para o dia, ou aquelas tachinhas pequenas. Costumamos considerar apenas os boletos e contas maiores e por isso a sensação do dinheiro ir embora.

Para os “malucos” por Excel como eu: Coloca tudo numa planilha dinâmica, com gráficos coloridos que ilustram quanto, onde, em que e os horários dos gastos diários. Para os “normais”: é só usar a calculadora ou a cabeça mesmo.

Este é apenas um exercício que se for fácil pra você pode ser feito por uma semana ou até mesmo um mês (é chato fazer direitinho por muito tempo). Depois de uma semana seu cérebro já estará mais crítico em relação aos pequenos gastos e as saídas de dinheiro passam a não ser mais tão automáticas.

Este exercício é parte do planejamento financeiro que pode ser feito em várias etapas, mas isoladamente ajuda a criar a consciência dos pequenos gastos e a formatar a cultura crítica do querer gastar ou não. A decisão de gastar sempre será sua e de grão em grão… Ops! Este ditado já é assunto pra um outro dia.

;)

EE Colunista Caren Jacques da Silva

EE-Colunistas-aviso-geral

18 nov 2016

Prev
Next

Um olho no peixe outro no gato!

 

Vida de empreendedor é assim mesmo: olhar atento a tudo que rodeia. É concentração de gestão, tudo em um, responsabilidade total, qualidade total e iniciativa total. Não existe culpados, mérito ou desculpas que não partam do próprio empreendedor.

Na área financeira as coisas seguem na mesma ordem. Normalmente é a área menos delegada por envolver informações sigilosas, mas como nem todo mundo tem familiaridade ou gosta do tema, as finanças viram uma caixa de surpresas nem sempre positivas.

A ideia aqui é falar que dinheiro é bom e administrá-lo pode ser simples.

Que dinheiro é bom todo mundo sabe, mas que a relação com ele pode ser simples nem todo mundo sabe ainda. Em tempos de economia diferente muito se fala de forma negativa, mas o dinheiro como todos os outros recursos se bem administrados se ajustam ao sistema.

Falaremos neste espaço sobre vários assuntos financeiros e principalmente sobre controle nas finanças. Infelizmente, tudo o que não é medido ou controlado corre a revelia e o resultado pode ser devastador. Felizmente, podemos controlar as finanças de formas fáceis com um pouquinho de organização e boa vontade. Dinheiro é muito bom e saber o que fazemos com ele é ainda melhor.

Atenção! Quando o assunto é dinheiro: Um olho no peixe e outro no gato!

EE Colunista Caren Jacques da SilvaEE-Colunistas-aviso-geral

05 out 2016